Rua do Xisto nº 150,
4475-509 Nogueira Maia

(351) 229 607 021
info@apre.pt

Documento de Definições Técnicas Bem-Estar (APRE-PABM-092011)

|
Escrito por APRE

Na sequência de um trabalho efectuado pela APRE, na conjugação e alinhamento no ensino e formação de praticantes de Reiki, foi desde logo salientada a importância de se implementar um plano de acção na área de bem-estar no Reiki Essencial. Este plano de acção tem como referência o número APRE-PABM-092011. O início deste plano na APRE e a perspectiva defendida pelo grupo de trabalho, visam aconselhar e orientar nas meditações, relaxamentos, alimentação e nos sons (musica). 

Nesse sentido, e decorrente desta necessidade sentida não só por vários profissionais de Reiki no terreno como pelas escolas, organismos, associações, e dada a importância deste tipo de informação para planeamento da formação dos futuros praticantes, esta associação considerou prioritário a constituição de um grupo de trabalho que abordasse esta problemática e avançasse com um plano de acção na área do Bem-Estar. Para tal, foi constituída uma equipa de âmbito nacional composta por Mestres de Reiki Essencial, que iniciou o seu trabalho em Maio de 2011. 

 

FAÇA AQUI O DOWNLOAD DO TEXTO

APRE-PABM-092011

Documento de definições sobre técnicas de bem-estar 

11 páginas - documento aprovado pela Direção da APRE

Criado em 09/11/2011

 

Elaborado por:

Sérgio Silveira e Conceição Pereira, Lurdes Alves, Paulo Serra, Ricardo Severino, Sílvia Ribeiro, Eugénia Palmeira, Filipa Reis e Pedro Fonseca.

Grupo de trabalho para a regulamentação da terapia de Reiki Essencial

 

INTRODUÇÃO

São objectivos deste grupo

PLANO DE DIVULGAÇÃO

Divulgação pelo Grupo de Trabalho aos associados

Divulgação pelas associações

Divulgação a população em geral

TÉCNICAS COMPLEMENTARES

Definição de Meditação

Definição de alimentação saudável

Definições da Música

 

São objectivos deste grupo: 

1. Desenvolver um plano de acção, faseado, a implementar de forma uniforme e sistemática na formação de Reiki nos diversos graus; 

2. Desenvolver um plano de formação nacional para Associações de Reiki;

3. Desenvolver um plano de formação nacional para Mestres de Reiki;

4. Acompanhar e monitorizar o ensino do Reiki Essencial em Portugal;

5. Propor recomendações de novas técnicas para o ensino de Reiki Essencial de forma a aumentar a qualidade na formação. 

 

Com vista a tornar possível no médio prazo a implementação de um modelo de ensino de Reiki Essencial baseado nas necessidades de formação dos futuros praticantes de Reiki, é fundamental o trabalho em desenvolvimento no âmbito deste grupo. A sistematização e regulação da formação de Reiki Essencial e a uniformização de critérios de ensino, permitirá uma gestão dos cursos mais rigorosa, a utilização de normas de orientação Reikiana, critérios de referenciação e técnicas de Reiki mais “convergentes” entre os diferentes graus de Reiki. 

 

PLANO DE DIVULGAÇÃO

O plano de divulgação deste projecto para a melhoria do ensino de Reiki Essencial em Portugal deverá ocorrer em três momentos distintos:

 

1) Divulgação pelo Grupo de Trabalho aos associados

Nesta fase o grupo de trabalho vai informar os seus associados sobre o Manual de Conduta Ética Profissional na Formação e Ensino do Reiki (APRE-PAT-102011) e explorar em conjunto com os seus associados a necessidade e a importância deste plano de formação. Conhecer as opiniões e fazer as alterações necessárias ao plano. Em termos nacionais é importante compreender que este plano de formação permitirá alcançar um ensino normalizado entres todos os associados e escolas, de forma mais eficiente e mais equitativa, sendo expectável que a médio prazo seja possível a implementação de um modelo de ensino nesta associação. É essencial o envolvimento dos associados uma vez que grande parte do acompanhamento e recolha de informação, vêm das suas experiências.

 

2) Divulgação pelas associações

Conhecendo os objectivos para os quais foi constituído o grupo de trabalho e as vantagens decorrentes da implementação destas orientações, para todos os intervenientes neste processo, é essencial que cada associação dê a conhecer e incentive os seus associados, na implementação deste Manual de Conduta Ética Profissional de Ensino e Formação de Reiki, pelas vantagens que daí decorrem para cada associação. É essencial motivar as associações neste processo pois são os mensageiros e promotores de toda a informação junto dos seus associados e que na prática farão do ensino mais equitativo.

 

3) Divulgação a população em geral

Divulgação e implementação do Manual de Conduta Ética Profissional na Formação e Ensino do Reiki, através da página oficial da APRE, comunicação aos seus associados, à comunicação social, aos Representantes Locais e de todos os elementos fundamentais para o sucesso deste projecto. É importante nesta fase garantir que as pessoas compreendem a importância de terem um bom ensino regularizado por todas as escolas e Mestres de Reiki. É fundamental também realçar a importância de um ensino de Reiki uniforme e realizado de forma sistemática, pois só desta forma, e com o contributo de todos, é possível ambicionarmos ao reconhecimento legal e consequentemente termos a possibilidade de orientar esforços em determinado sentido, tendo por pressuposto a necessidade de evolução de cada cidadão.

 

FORMAÇÃO E ENSINO DE TÉCNICAS COMPLEMENTARES AO REIKI ESSENCIAL E A SUA ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL

 

1. SUMÁRIO

Definições

 

1.1 Título

MEDITAÇÃO – Relaxamento e subconsciência

 

2. INTRODUÇÃO

2.1 Definição de Meditação

2.1.1 O que é a meditação?

A meditação é um método para familiarizar a nossa mente com objectos virtuosos. Quanto mais familiarizada com virtude, mais calma estará a nossa mente. Com uma mente calma estaremos livres de insatisfação e experimentaremos felicidade verdadeira. Se a nossa mente não estiver serena, então, mesmo que tenhamos as melhores condições externas, não estaremos felizes. Ao contrário, se treinarmos a nossa mente para que ela se torne serena, seremos felizes todo o tempo, mesmo nas situações mais adversas. Por esta razão é importante treinar a nossa mente por meio da meditação.

Existem dois tipos de meditação: analítica e posicionada. A meditação analítica consiste em contemplar o significado de uma instrução de Dharma que ouvimos ou lê-mos. Analisamos o objecto utilizando linhas de raciocínio que ouvimos ou lê-mos, assim como as nossas próprias experiências sobre o tema. Ao contemplar profundamente, chegaremos a uma conclusão, ou geraremos um estado mental específico. Este será o objecto da meditação posicionada. Tendo encontrado o nosso objecto através da meditação analítica, nós, então, concentramo-nos nele pelo maior tempo possível, para nos familiarizar profundamente com ele. Esta concentração centrada em algo é a meditação posicionada, enquanto que a analítica é chamada simplesmente de “contemplação”. A meditação posicionada depende da contemplação, e a contemplação depende de escutar ou ler os ensinamentos de Dharma.

 

2.1.2 Porquê meditar?

Se examinarmos as nossas vidas, iremos, provavelmente, descobrir que a maior parte do nosso tempo e energia são orientados para a conquista de metas mundanas, tais como procurar uma segurança material e emocional, desfrutar dos prazeres dos sentidos, ter boa reputação, etc. Embora tais coisas possam trazer alguma satisfação temporária, elas são incapazes de prover a felicidade profunda e duradoura que tanto almejamos. Mais cedo ou mais tarde essa felicidade converte-se em insatisfação e surpreendemos-nos novamente envolvidos na procura de mais prazeres mundanos.

Mas, se a satisfação verdadeira não pode ser encontrada nos prazeres mundanos, onde poderemos encontrá-la? A felicidade é um estado mental, logo, a verdadeira fonte de felicidade não reside em condições exteriores, mas sim na mente. Se tivermos uma mente pura e serena, estaremos felizes, independentemente das nossas circunstâncias externas. Ao contrário, se tivermos uma mente perturbada, nunca encontraremos felicidade, por mais que tentemos mudar as nossas condições externas.

O objectivo da meditação é cultivar os estados mentais que são conducentes à paz e à felicidade, e erradicar os que trazem confusão e sofrimento. Apenas os seres humanos podem trazer isto. Os animais podem desfrutar da comida e sexo, encontrar abrigos, armazenar provisões, subjugar os seus inimigos e proteger as suas famílias, mas não podem eliminar o sofrimento, nem conquistar felicidade duradoura. Seria uma causa de profundo arrependimento se usássemos a nossa vida humana preciosa para obter resultados que até os animais podem obter. Porém, podemos evitar tal desperdício e tornar a nossa vida verdadeiramente significativa se treinarmos a nossa mente através de meditação.

 

2.1.3 Duração e como se meditação

Escolhemos um local sossegado, deve durar aproximadamente 10 a 15 minutos no máximo, e assumimos a postura em sete pontos. A utilidade desta postura é extensamente explicada nos textos sobre os diferentes yogas. Mas sucintamente, o objectivo é permitir aos elementos subtis nos diferentes centros do corpo que recuperem o seu equilíbrio.

 

1) As pernas estão na posição de Lotus ou de Vajra (cruzadas uma sobre a outra) ou na posição dita do bodhisattva (cruzadas uma à frente de outra).

2) A coluna vertebral é mantida direita.

3) Os ombros estão puxados para trás.

4) As palmas das mãos estão postas sobre os joelhos; ou ainda, a mão direita repousa dentro da mão esquerda ao nível do umbigo, as palmas das mãos viradas para cima com a extremidade dos polegares em contacto.

5) A língua, nem enrolada nem crispada, repousa confortavelmente contra o palato;

6) Os olhos podem estar abertos ou fechados. No caso presente, deixamo-los numa posição perfeitamente natural, nem fechados, nem encarquilhados;

7) A cabeça não deve pender nem para trás nem para a frente: o pescoço deve estar direito e o queixo ligeiramente para dentro, de forma a manter a coluna direita.

 

Então, concentramo-nos unicamente no acto de inalar e exalar, é muito importante a concentração na respiração pois traz calma, e paz. Existem muitas meditações diferentes contudo todas elas começam com a meditação na respiração, de modo a acalmar a nossa mente para uma contemplação mais profunda.

 

2.1.4 Benefícios da prática

A meditação consiste de práticas diárias envolvendo essencialmente concentração da atenção. Embora apareça com uma aura mística, a sua prática regular proporciona vários benefícios e aperfeiçoamentos práticos, como (experiência própria):

 

1) Descanso físico, mental e emocional

2) Aumento da capacidade de concentração

3) Maior auto-liderança

4) Maior liberdade de escolha

5) Senso de identidade mais livre e mais rico em possibilidades.

 

A meditação reduz a ansiedade, torna a respiração equilibrada e profunda e melhora a oxigenação e a frequência cardíaca. O seu reflexo no sono é um repouso mais tranquilo, sem interrupções. Além disso, a meditação atenua enxaquecas e constipações, acelera a recuperação no pós-operatório e auxilia a digestão alimentar. No campo psíquico, a prática mantém a pessoa num relativo estado de equilíbrio, com uma lucidez que a impede de entrar em conflitos emocionais internos, principalmente de origem afectiva. Há, por parte de quem a pratica, muito mais clareza mental, objectividade, paciência, compreensão e justiça.

A meditação em geral pode envolver sons, mas não linguagem falada ou pensada, ao contrário, um dos objectivos é justamente activar um nível de não-pensamento linguístico, que embora seja útil em algumas situações, não o é em outras.

 

2.1.5 Local da Sessão

A definir de acordo com o Terapeuta 

 

2.1.6 Material Necessário

Um local calmo, arrumado e decorado de forma harmoniosa. Música ambiente relaxante

 

3. SUMÁRIO

Definições da Alimentação Saudável 

 

3.1 Título

ALIMENTAÇÃO – Alimentar o seu corpo

 

4. INTRODUÇÃO

4.1 Definição de alimentação saudável

Começamos este conteúdo sobre Alimentação Saudável referindo a importância de como a Saúde é o nosso bem mais precioso. Portanto devemos dar especial atenção à ela. O organismo humano é constituído de Mente, Corpo, e Espírito, cada umas destas partes são importantes para o bem-estar geral de uma pessoa, e para tanto devem ter suas necessidades atendidas. São os seus hábitos de vida que determinarão se você terá um organismo sadio, forte e resistente; ou se através dos seus maus hábitos de vida, você agride o seu corpo enfraquecendo-o, e minando a suas resistências. Para que se tenha uma saúde minimamente equilibrada é necessário observar pontos importantes, como a boa alimentação, o dormir 8 horas de sono diariamente, a higiene pessoal adequada, abolir da sua vida o tabaco e a bebida alcoólica, etc.

Relativo a alimentação, este é o ponto mais importante para se manter saudável e forte. Pois através dos alimentos que você recebe todas as vitaminas e nutrientes necessários (minerais, vitaminas, proteínas, açúcar, gordura) para ter uma boa qualidade de vida e manter a sua saúde em dia. 

A alimentação influencia no funcionamento dos sistemas nervoso, glandular, ósseo, muscular, urinário, digestivo, respiratório, cárdio-circulatório, assim como no comportamento, humor, memória, inteligência, na disposição física e sexual.

Relativo ao sistema de defesa do organismo a alimentação tem papel fundamental, sem uma boa alimentação o organismo sofre alterações na sua resistência, enfraquecendo e estando assim susceptível a todos os tipos de doenças.

Devemos observar também que não é a quantidade de alimentos que nos faz mais forte, e sim a qualidade e ingestão das refeições em horários regulares e com calorias balanceadas. Para uma alimentação rica e natural, devemos observar três qualidades de alimentos, a vegetal, a natural e a integral.

 

- Alimentos Vegetais - São os alimentos mais importantes, são as verduras, os legumes e as frutas. Neles você encontrará minerais, vitaminas, açucares, proteínas e gorduras, em baixa quantidade. São alimentos equilibrados, que devem de ser consumidos diariamente. Devendo estar presente em 2/3 de toda alimentação, ou seja no pequeno-almoço, no almoço e no jantar. Para além de saborosos eles contem substâncias protectoras com acção anti-inflamatória, anti-reumática, etc. São também indicados para pessoas obesas que necessitam de dieta, por serem extremamente saudáveis. Devem ser consumidos preferivelmente crus e muito bem higienizados.

 

- Alimentos Naturais - São aqueles produzidos pela natureza. Eles fornecem as substâncias necessárias para o perfeito funcionamento do organismo e sua defesa, e o organismo está apto para digeri-los, absorvê-los, metabolizá-los e eliminar o que não serve. Ao contrário, os produtos artificiais, industrializados são os alimentos que contêm substâncias químicas acrescentadas, como conservantes, estabilizantes, corantes, aromatizantes, espessante. Estas substâncias são prejudiciais a saúde, capazes de provocar intoxicações, alergias, e muitos outros problemas, inclusive o cancro. Nesta categoria estão o açúcar refinado, os doces, as bebidas artificiais, a margarina, os enlatados em geral, produtos nada saudáveis, que devem ser evitados.

 

- Alimentos Integrais - Este é um item a parte e que merece especial atenção, por isso logo abaixo você encontrará vários exemplos destes alimentos. Alimentos integrais são aqueles mantidos com a composição que recebeu da natureza, sem nada acrescentar, nem retirar. É o alimento na sua forma completa, total, com todos os seus nutrientes, necessários para o equilíbrio e bom funcionamento do organismo. São aqueles que não passaram pelo processo de refinamento. Os cereais integrais ainda possuem películas que envolvem os grãos, ricas em nutrientes como fibras (importante para manutenção e funcionamento adequado do intestino), vitaminas e minerais. São alimentos saudáveis que nos fornecem nutrientes essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo. Devem ser consumidos com regularidade, evitando-se o consumo de açúcares refinados, sal refinado, etc.

 

4.1.1 Exemplo de alguns Alimentos Integrais:

 

AÇÚCAR MASCAVO

É o açúcar de cana integral, que não passa pelos processos de refinação e industrialização. Tem uma coloração castanha é rico em cálcio, ferro, potássio e diversas vitaminas que não são encontradas no açúcar refinado. É importante lembrar que o açúcar mascavo não é aconselhável para diabéticos.

 

ARROZ INTEGRAL

Como alimento principal, bem mastigado é um poderoso alimento-medicamento. É um alimento praticamente completo, possuindo a cadeia mais completa dos 12 aminoácidos indispensáveis para a formação de novas células. Rico também nas vitaminas A, B, B2, B5, B6, E e os minerais, cálcio, fósforo, ferro, etc. 

 

Actua como auxiliar no tratamento de vários distúrbios como:

1) Falta de memória

2) Purificador do sangue 

3) Benéfico para o aparelho digestivo

4) Rico em fibras auxilia o tratamento de prisão de ventre

 

O preparo deste arroz é basicamente como o arroz comum, diferenciado apenas no tempo de cozimento que em lume brando demora cerca de 30  a 50 minutos.

 

AVEIA (GRÃOS OU FLOCOS)

É reconhecidamente um cereal energético.

 

1) Aumenta a resistência física

2) Auxiliar no tratamento de anemia

3) Auxiliar na regularização da taxa glicemia (açúcar), sendo especialmente recomendada aos diabéticos

4) Estimula a tiróide aquecendo o corpo no inverno. Rica em vitaminas B, cálcio, fósforo, ferro, sódio, potássio, cloro, magnésio e manganês.

 

AVELÃ

Excelente tónico cerebral. O óleo é utilizado como tónico capilar de grande eficácia contra queda de cabelo.

 

BROTOS

Brotos de feijão, lentilha, alfafa, trigo, arroz, já fazem parte dos hábitos alimentares de quase todo o mundo. Excelentes fontes de vitaminas, e minerais.

 

1) Auxiliar no tratamento de esgotamento físico

2) Excelente para convalescenças

3) Auxiliar na recuperação de infecções

4) Estimulam a lactação

 

CENTEIO (GRÃOS, FARINHA, FLOCOS) 

Indicado para os casos de:

 

1) Hipertensão arterial, doenças cardíacas, e falta de memória

2) Rico em cálcio, ferro, magnésio e fósforo

3) Favorece a circulação

 

CEVADA (CAFÉ DE CEVADA)

Com os grãos torrados e moídos, prepara-se o "café de cevada" que acalma os nervos e é excelente fortificante para o cérebro.

 

CEVADA EM GRÃO

Cereal leve e refrescante, pode ser consumido em forma de pão, ou grãos cozidos (puros ou em sopas)

 

1) Auxilia o tratamento de inflamações 

2) Evita desarranjos intestinais

3) Auxiliar na boa calcificação nos ossos

4) Rico em cálcio, potássio, fósforo, silício, vitamina B e caroteno.

 

ERVILHA e LENTILHA

Têm alto teor de carbonatos e fibras. Baixo teor de gordura. Boa fonte de vitamina B e sais minerais. Usadas em sopas, saladas e para acompanhar cereais, substituindo a carne.

 

FARINHA DE TRIGO INTEGRAL

É o grão trigo moído sem que tenha passado pelo processo de refinamento. Utilizada no preparo de bolos e pães, em substituição à farinha branca comum. Possui vitaminas A, B, Zinco, Magnésio, Cromo, etc.

 

FRUTA SECA

Preparadas por processos de desidratação cada vez mais modernos que minimizam perdas nutricionais, as frutas secas têm altas concentrações de minerais e frutose, o açúcar natural das frutas. São óptimas substitutas de doces, pois são naturalmente saborosas e nutritivas. São ricas em potássio, ferro, magnésio, fibras e vitaminas em geral.

 

GERGELIM

Sementes pretas e brancas (ou amarelas). Contém lecitinas e fosfatos em abundância. Aumenta a actividade e o reflexo do cérebro. Ricas em Vitaminas A, cálcio, proteínas e calorias.

 

GERME DE TRIGO

Possui vitaminas E, B, outros complexos B e proteínas. Excelente em caso de esterilidade e distúrbios da menopausa. Diminui a tensão arterial e varizes. Pode ser usado no iogurte, coalhadas, sucos, etc.

 

GERSAL

O gersal é um condimento bastante comum na alimentação vegetariana e macrobiótica. É um produto obtido a partir de sementes de gergelim integral seleccionadas e tostadas com o sal marinho. Óptima opção de acrescentar nutrientes a refeição. Contém: proteínas; vitamina E e do complexo B; fibras; minerais como: o cálcio, o fósforo, o ferro, o magnésio, o cromo, o cobre, óleo de óptima qualidade biológica e lecitina.

 

GIRASSOL

O consumo diário de sementes de girassol previne a aparecimento de cãibras. O chá da semente é eficiente contra enxaquecas e dores de cabeça de origem nervosa. É rico em proteínas e complexo B.

 

GLÚTEN

O glúten é uma proteína do trigo que aparece em massas e farinhas. É ele que dá liga na massa e também ajuda o pão a crescer. Um pão rico em glúten tem muita proteína e, proporcionalmente, menos carbonatos, que são compostos altamente calóricos. É um alimento nutritivo, rico em proteínas, fósforo, cálcio, ácido glutinoso (alimento de cérebro) e vitamina do complexo B.

 

IOGURTE NATURAL

Alimento rico em lactobacilos úteis, que vão auxiliar no correcto funcionamento intestinal, controlar os índices de ácido úrico, aumenta a resistência do corpo contra infecções, além de ter vitaminas A, B, C, D, potássio, cálcio, fósforo, magnésio, ferro e zinco. Óptimo se consumido com mel.

 

LEVEDO DE CERVEJA

Extraído da fermentação da cevada, malte, e outros cereais é o protector natural contra doses letais de radiação e poluição. Contem complexo B, indicado para pessoas que sofrem distúrbios nervosos ou fraqueza muscular. Adicionar ao leite, chás e sucos.

 

MACARRÃO DE TRIGO INTEGRAL

Não contém ovos ou qualquer aditivo químico, evitando-se assim o problema do colesterol. Preparado como qualquer outro tipo de macarrão.

 

CARNE DE SOJA

Soja pré-cozida, substituto da carne animal, com as vantagens de não conter hormônios e de obter mais vitaminas e proteínas.

 

SAL MARINHO

É o sal natural que não passa pelo processo de industrialização. Composto naturalmente de cerca de 83 elementos como bromo, magnésio, cálcio, iodo natural e orgânico, etc. Usado em quantidades normais e em substituição ao sal comum contribui para a reposição mineral da glândula tiróide.

 

SOJA EM GRÃO

Importante fonte de proteínas, os grãos pode ser consumidas cozidos como feijão após a retirada da película externa (deixando os grãos de molho em água por doze horas e retirando-a manualmente).

 

TOFU

(queijo de soja) este queijo é de fácil digestão suprindo o organismo com as proteínas necessárias. Totalmente livre de colesterol, tem baixa taxa de óleos saturados e poucas calorias. Óptima fonte de cálcio, vitaminas E, ferro, potássio, fósforo e sódio. Indicado para pessoas com problemas digestivos.

 

TRIGO EM GRÃO

É conhecido como o alimento que acentua a inteligência, criatividade e raciocínio. Possui vitaminas A, B, C, E, PP, cálcio, fósforo, magnésio, potássio, zinco, etc..

 

5. SUMÁRIO

Definições da Música 

 

5.1 Título

MUSICA – Som para os ouvidos

 

6. INTRODUÇÃO 

A música é a arte de combinar sons de modo agradável aos ouvidos. Na Grécia Antiga era chamada a «arte das musas», simbolizando a harmonia universal. Platão dizia que a música era a expressão da ordem e da simetria, que através do corpo penetrava na alma e em todo o ser, revelando a harmonia da personalidade total. A musicoterapia é a terapia que faz uso da música, ou de parte dos seus componentes: da melodia, do som, do ritmo e da harmonia, com o objectivo de alterar positivamente o estado emocional, físico, comportamental e cognitivo através das respostas activadas pela música. Possivelmente a terapia mais usada inconscientemente por todos nós.

 

6.1 Definição de musicoterapia

O uso da música como método terapêutico vem desde o início da história humana. Alguns dos primeiros registos a esse respeito podem ser encontrados na obra de filósofos gregos pré-socráticos. Já a sistematização dos métodos utilizados só começou, no entanto, após a Segunda Guerra Mundial, com pesquisas realizadas nos Estados Unidos. O primeiro curso universitário de musicoterapia foi criado em 1944 no Michigan State University.

De acordo com a World Federation of Music Therapy, a Musicoterapia é a utilização da música e/ou de seus elementos constituintes como o ritmo, melodia e harmonia, por um musicoterapeuta qualificado, com um cliente ou grupo, num processo destinado a facilitar e promover comunicação, relacionamento, aprendizagem, mobilização, expressão, organização e outros objectivos terapêuticos relevantes, a fim de atender às necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e cognitivas. A musicoterapia busca desenvolver potenciais e/ou restaurar funções do indivíduo para que ele ou ela alcance uma melhor qualidade de vida, através de prevenção, reabilitação ou tratamento.

 

6.2 Indicações

A música como forma de terapia ajuda uma vasta gama variada de pacientes. Entre estes estão incluídas pessoas com dificuldades de concentração, ansiosas e pacientes com deficiência mental ou dificuldades emocionais. Este tipo de sessão normalmente destina-se as pessoas com objectivos específicos. O campo de actuação da musicoterapia é vasto e diversificado. Esta pode ser aplicada em várias áreas, como a deficiência mental, a deficiência física, a deficiência sensorial, a psiquiatria, a geriatria e a área social.

 
 
 
 
 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Categoria: /